Higienização do espaço

28 d julho d 2016

aeeeeee

O espaço de trabalho reflete o resultado de nossa atuação e, por isso, zelo pelo meu estúdio, pois deve estar sempre impecável para o próximo cliente. Prezo, principalmente, pela limpeza, afinal, é fundamental cuidar de nossa saúde e dos clientes. Como alinhar esses procedimentos com nossa rotina  corrida?

Quem me conhece sabe que sou amante das facilidades e da eficiência. Pesquisei muito para elaborar um método que facilitasse a esterilização do meu local de trabalho e se ajustasse à minha rotina de pouco tempo entre as sessões.

A primeira preocupação é não utilizar plástico em nada, durante o procedimento de micropigmentação. Não encapo fios. Não uso canetas. Nada! Se esse material não for estéril e trocado a cada cliente, não adiantará. Será uma porta de entrada para microrganismos prejudiciais.

Outro ponto é o uso de um material de limpeza e desinfecção hospitalar, facilmente encontrado em lojas de material de limpeza. Também uso o álcool 70 por se tratar de um grande agente bactericida, fungicida e veruscida, ou seja, mata bactérias, fungos e vírus com a desidratação do microrganismo. A água é retirada do interior desse microrganismo, levando-o a morte. O produto possui uma parte de água que penetra no microrganismo através de um processo chamado osmose, consistindo na travessia da água para a célula do microrganismo junto com o álcool.

Quando isso acontece, ocorre outro processo de osmose, só que reverso, em que a água sai do microrganismo pela evaporação do álcool, levando-o a desidratação e consequentemente a morte.

A cada nova sessão, troco os itens descartáveis e limpo todo o estúdio com um borrifador contendo álcool 70. Uma forma prática e eficaz de assegurar a todos que o local está desinfetado e limpo.